Longevidade e a Fonte Secreta da Vitalidade por Neila Gusmão

Olá pessoal!

Sou Neila Holanda de Gusmão, durante mais de três décadas de estudos e pesquisas somados à minha vasta experiência de vida lidando com pessoas, desenvolvi habilidades que fazem a diferença no meu dia a dia. Acredito que conhecimento bom, é conhecimento compartilhado. E por essa razão, decidi ajudar outras pessoas através do meu mais recente projeto, uma Consultoria de Longevidade.

Estou feliz com o convite da amiga Vera Souto Maior, para colaborar com minha experiência para o Blog Em Evidência. Nesse primeiro contato com vocês, escrevi um artigo de opinião sobre vida longa com a intenção de ir além da argumentação e conhecimento, que seja útil e inspirador no processo de busca do leitor todos os dias da sua vida. O ano todo. Cada um vivendo sua própria experiência.

Você não está sozinho!

Longevidade e a Fonte Secreta da Vitalidade


O aumento da expectativa de vida é um fenômeno global. O homem na sua conhecida busca pela lendária fonte da eterna juventude parece ter encontrado a chave do paraíso (ou seria do pesadelo?). Sim, tem muita gente pensando que viver é sofrer. Imagine, envelhecer!


Quando falo sobre vida longa penso logo no meu pai que conseguiu viver 93 anos, lúcido e sem reclamar. Ele criou um pequeno broche com a frase `Viver é uma benção. Envelhecer, um privilégio` que costumava usar e distribuir por onde andava. Seu gesto chamava muita atenção e gerava alguns questionamentos. De onde vinha tanto otimismo? Para uma pessoa `velha`, de hábitos simples, com certa deficiência ao caminhar, meu pai gostava da vida. Acredite, isso faz a diferença!


Estudos mostram que a longevidade da população depende de fatores externos, das condições oferecidas pelo lugar onde as pessoas vivem. Os serviços de saneamento ambiental, de saúde e educação, alimentação, índice de violência entre outros. No entanto, viver mais e bem, ao contrário, depende das condições das pessoas por dentro, de fatores internos. Não basta conseguir viver além da média esperada, é preciso ter atitude. Fazer escolhas que faça a vida ficar "com a nossa cara". A experiência de vida humana passa pelos relacionamentos. A forma como nos relacionamos criam experiências agradáveis e construtivas ou, ao contrário, ruins e destrutivas. E os nossos pensamentos exercem total influência nesses processos. Tanto à nível de corpo físico, como a visão que temos sobre nós mesmos e o mundo. Funcionamos como imãs atraindo situações e pessoas de acordo com nosso padrão mental. Sorte e azar têm tudo a ver com isso! A mudança de mentalidade é o primeiro passo para viver bem em qualquer fase da vida.


Estudos à parte, o fato é que a longevidade no século XXI é uma condição humana real. E embora as ofertas de cada lugar influenciem nos números, viver mais e bem é algo mais profundo, passa pelo desejo apaixonado de viver (desejar só não basta!) o fio condutor que nos leva a buscar o equilíbrio, fonte de satisfação pessoal, energia e vitalidade.Pessoas de bem com a vida sentem prazer em viver, são mais cuidadosas consigo mesmas e com os outros inspirando mudanças positivas. Um ciclo virtuoso que ajuda a lidar com as ideias destrutivas criadas pela nossa mente tagarela quando a vida não anda no ritmo e do jeito que a gente quer. Ou quando a gente acha que "a grama do vizinho é mais verde". As nossas crenças mais profundas emergem nessas horas!


Países onde os moradores alcançaram os maiores índices de Longevidade Global se destacam no Índice Mundial de Felicidade, ou seja, viver mais tem tudo a ver com como as pessoas se sentem por dentro. O que nos leva a refletir sobre a questão da vida interior, da alma como alguns preferem chamar. E nos perguntar se estamos vivendo de acordo com o nosso propósito maior. Voltar o foco para dentro é preciso. As vezes adoecemos sem causa aparente, sem um diagnóstico fechado e exames inconclusivos. Sentimos constantes dores no corpo. Dormimos mal. Acordamos cansados. Os remédios já não fazem mais efeito. Os dilemas aumentam. Os conflitos se arrastam. Podemos afirmar que fomos afetados em níveis mais sutis da nossa existência. A doença é um "alerta" para algo que não vai bem e precisa de atenção. Estamos `doentes na alma`. Em algum momento nos desconectamos do essencial, da Unidade, de nós mesmos. Essa é a fonte de todo sofrimento humano.Como foi que isso aconteceu! Desde cedo aprendemos a buscar fora de nós tudo aquilo que necessitamos. Da comida ao afeto, passando pela busca da felicidade, tudo está `lá fora`. Atender às expectativas dos outros, faz parte. Ouvimos o que não queremos ouvir, vemos coisas que não queremos ver, sentimos o que não queremos sentir e nos calamos. Guardamos. A sociedade espera que a gente cresça, seja competitivo, primeiros da classe, passe no vestibular, arrume um bom emprego, ganhe muito dinheiro, compre um carro, tenha casa própria, faça um casamento `à altura`, tenha filhos, seja magro, bonito...Ninguém nos pergunta o que realmente queremos e como queremos. A vida se torna estressante, chata e sem graça. Limitados, achamos que fugir do sofrimento é a única saída sem se dar conta que fomos nós que o criamos. O sofrimento está na mente, no ego. Precisamos avançar, ir além, exercitar nossos cérebros, criar novas habilidades e alcançar níveis mais sutis de consciência. Ego é sofrimento. Quanto mais nos afastamos dessa condição mas nos aproximamos do nosso centro. `No centro sentimos leveza.

`

Chegamos ao século XXI! A ciência evoluiu, a medicina avançou, a indústria farmacêutica investe cada vez mais em medicamentos inteligentes oferecendo soluções para todos as necessidades (e bolsos!). Tem remédio para dor, para dormir, para acordar, para alegrar, para controlar a raiva, equilibrar o humor, diminuir o estresse, para fazer sexo, para perder a timidez, para emagrecer, para engordar.Já se fala na `pílula da felicidade! Mas o homem continua sofrendo.


Chegou a hora de reaprender a viver. Experimentar a longevidade de forma plena e prazerosa. A mudança de mentalidade é o primeiro passo. Afinal, viver é uma benção. E a longevidade, um privilégio. Encontre a chave do seu paraíso!



Neila Holanda de Gusmão

Designer, Empreendedora em Bem-Estar, Terapeuta Integrativa ( Acupuntura, Floral, Reflexologia), Consultora de Longevidade.

Contato: (81) 99746-1335 ( WHATSAPP)

Email: neilaconsultoralongevidade@gmail


Copyright © 2017 - verasoutomaior.com - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Viva Comunicação PE