Comunicação - uso da linguagem, por Dilsa Farias

Desde o início da humanidade que o homem percebeu a necessidade de se comunicar. Para isso se fez necessário o uso da linguagem.

Podemos nos comunicar por dois tipos de linguagem: verbal e não-verbal

Vamos compreender de início o uso da linguagem não-verbal, pois foi a primeira usada pelo ser humano através de sinais, gestos, desenhos, sons variados, sons emitidos pela voz, mas sem vocabulário, apenas expressões e por expressões sem sons.

Entretanto, ainda hoje, continuamos nos comunicando pela linguagem não-verbal. Elas foram se modificando e se expandindo, inclusive nas redes sociais, através do emoji.


Temos muitos exemplos do uso da linguagem não-verbal em nossa vida como a linguagem dos gestos (libras), dos desenhos, figuras, pintura, sons. A linguagem do trânsito, por exemplo, é quase toda através de sinais sonoros, cores e desenhos.

A Linguagem Verbal - É a linguagem falada ou escrita. É um tipo de linguagem que varia bastante de um País para outro (através de idiomas). Muitas vezes dentro do próprio País ela difere de região para região.


Vamos estudar a Linguagem Verbal no Brasil. Temos vários tipos. Por exemplos:

Linguagem regional - varia de região para região modificando o sentido e a pronúncia de algumas palavras. Se colocarmos frente a frente um gaúcho alfabetizado e um nordestino da zona rural analfabeto, certamente, o diálogo entre eles será um pouco complicado, pois ainda tem como dificuldade, o sotaque que pode interferir na comunicação.

Linguagem Profissional - Cada profissão tem o seu vocabulário particular. Um Médico, um Advogado, um Professor, por exemplo, poderão, no uso de seu vocabulário particular não entenderem a linguagem do outro, pois cada um tem um vocabulário complementar que os tornam profissionais dentro de sua área.

Linguagem Coloquial, Popular ou Familiar- É um tipo de linguagem que você fica mais à vontade e lhe dá o direito de usar um vocabulário mais simples, mais afetivo, sem preocupação de pronunciar as palavras de forma correta. Elas surgem espontaneamente e despreocupadas com as normas gramaticais, algumas vezes, com o uso de gírias ou não.


Linguagem Culta, Formal ou Padrão - É a linguagem ideal para todos. Independente de profissão, etc. É a linguagem pautada no uso correto das normas gramaticais. Sem sotaque e na medida do possível, sem erros. Veja, por exemplo, os locutores dos programas jornalísticos, eles não usam sotaque e pronunciam as palavras corretamente, não importam de qual região eles sejam.

Linguagem Literária – Para você entender melhor a linguagem literária é muito importante que você saiba distinguir CONOTAÇÃO E DENOTAÇÃO.

Ex.: Conotação é o uso das palavras com a linguagem interpretativa, utópica, criativa e usada para embelezar o texto.

Denotação é o uso das palavras com o seu significado real, verdadeiro.


A linguagem literária pode ser encontrada em prosa (narrativas, crônicas, contos, romances, novelas) e nos versos ( poemas).

Conclusão: podemos usar todas as formas de linguagem verbal e não-verbal de acordo com o momento e o conhecimento.


Dilsa Farias

Professora de Língua Portuguesa e Literatura. Atualmente, ocupa uma cadeira na Academia de Letras e Artes de Gravatá como Historiadora e Colecionadora de fotos antigas da cidade e de seu povo. Como Historiadora, ela se empenha em resgatar o passado da cidade e registrar o presente. E-mail: dilsamaria@gmail.com




Copyright © 2017 - verasoutomaior.com - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Viva Comunicação PE