Em Gravatá, roda de diálogos no Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha.

A secretária da Mulher, Ester Gomes, promoveu uma roda de diálogos sobre feminismo negro no Brasil, quinta-feira (28), junto com a secretária executiva e assistente social da Associação Batista de Ação Social – ABAS, dia 25 de julho é a data que marca o Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha.


O Brasil registra altos índices de desigualdade de gênero e essa desigualdade aumenta quando a mulher é negra. Esse desnivelamento social a que a mulher negra é vítima se manifesta, dentre outros fatores, em disparidade salarial, oferta de cargos e empregos que não condizem com sua capacidade intelectual, discriminação verbal e comportamental, o que aumenta se essa mulher estiver dentro do grupo LGBTQIAP+.


A secretária da Mulher de Gravatá, Ester Gomes, comemora: “com a participação de mulheres de diversos setores da sociedade civil conversamos, nesta tarde, sobre o papel preponderante da mulher negra na construção justa da sociedade. O Brasil é um dos países que mais discrimina e subjuga a mulher negra, por isso, em nosso diálogo, buscamos uma conscientização coletiva para que cada uma, no seu campo de ação, possa fomentar esse diálogo e fazer com que esse coro tome forma e seja uma voz audível e respeitada por todos.”


Informações SECOM

Fotos: Ednaldo Lourenço