Nossa Linguagem Figurada, por Dilsa Farias

A Língua Portuguesa oferece diversas formas para usá-las com a certeza de que estamos escrevendo nossos textos corretamente e sabendo interpretar com precisão.

Para isso, foram criadas As Figuras de Linguagem. Ou seja, como as palavras podem figurar em nosso pensamento em diversas interpretações. Já tivemos um estudo anterior sobre Metáfora, uma das mais usadas.

Hoje vamos conhecer mais duas Figuras de Linguagem bastante utilizadas em versos, músicas e até na linguagem do dia a dia.

EUFEMISMO- é uma figura de linguagem muito importante, pois ela tenta suavizar algo triste ou desagradável com palavras gentil ou discreta.

Ex.: Você faltou com a verdade. (Para não dizer, você mentiu)

Ele partiu desta. Ele entregou a alma a Deus. Ele descansou. (para não dizer, ele morreu).

Aquele rapaz é amigo do alheio. (ladrão)

Mais exemplos:

Terceira Idade, boa idade. (velho)

Ele tem conhecimentos limitados, em vez de dizer ele é burrro.

Minha secretária, em vez de minha empregada doméstica.

O rapaz foi convidado a retirar-se da festa, em vez de expulso.

Maria não foi feliz nos exames em vez de reprovada)

Ele é dependente químico, em vez de drogado.

Enriqueceu ilicitamente, em vez de roubando.

Maria foi para a cama no primeiro encontro, em vez de fez sexo.

Você escovou seus dentes direitinho? Em vez de você está com mau hálito.

Então, vocês percebem que existem muitos meios de se atenuar palavras desagradáveis por outras que tenham um efeito mais suave. Isso é EUFEMISMO! Em certas situações, vale a pena usar sempre.

HIPÉRBOLE- Consiste na expressão exagerada de uma ideia para criar mais impacto ou chamar mais atenção. Muitas vezes usamos essas expressões sem saber sua real definição quanto ao uso da linguagem.

Ex.: Você viu o José? Ele saiu daqui voando. (correndo)

Vamos a mais algumas expressões com hipérbole:

Ela acabou o namoro e chorou rios de lágrimas.

Já chorei lágrimas de sangue em minha vida.

Estou morrendo de fome.

Morro de rir com suas piadas.

Estou louca para viajar.

Hoje, já te falei um milhão de vezes para arrumar teu quarto.

“Paixão cruel, desenfreada, te trago mil rosas roubadas.”

Eu nunca mais vou respirar se você não me notar.

“...Eu quero me enrolar nos teus cabelos, abraçar teu corpo inteiro morrer de amor, de amor me perder...”

“Moça eu te prometo que me viro do avesso só pra te abraçar.”

Já chorei um oceano de lágrimas com saudades de você.

Simplificando:

Eufemismo: Palavras suaves.

Hipérbole: Exagero de ideias.


Dilsa Farias

Professora de Língua Portuguesa e Literatura. Atualmente, ocupa uma cadeira na Academia de Letras e Artes de Gravatá como Historiadora e Colecionadora de fotos antigas da cidade e de seu povo. Como Historiadora, ela se empenha em resgatar o passado da cidade e registrar o presente. E-mail: dilsamaria@gmail.com



Copyright © 2017 - verasoutomaior.com - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Viva Comunicação PE