Nutricionista orienta sobre alimentação no período junino


Época traz alimentos nutritivos, porém calóricos. Principal recomendação é ter cautela nas porções ingeridas


Durante o mês de junho não é apenas o ritmo do forró que faz a população suspirar de alegria. As comidas típicas da época, como pamonha, canjica, mungunzá, bolos, pé de moleque, milho cozido ou assado, entre tantas outras iguarias, são um capítulo a mais na festa de São João. O cheirinho dos pratos preparados em casa, nos restaurantes, padarias e em lojas especializadas é um convite especial para saborear a explosão de sabor que essas iguarias despertam.


Apesar de apetitosas e nutritivas, por conter boas quantidades de carboidratos, proteínas e vitaminas, o consumo deve ser feito com cautela. O coordenador do curso de Nutrição do UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau, em Caruaru, Jefferson Arruda, orienta que se deve aproveitar o momento, mas uma dica é observar as porções. “É importante consumir esses alimentos com prudência por se tratar de pratos calóricos. Para aqueles que gostam de cozinhar e colocar a mão na massa é indicado atentar-se ao adicionar açúcar e sal durante o preparo. A adição do açúcar torna o alimento ainda mais calórico e o abuso do sal leva à necessidade de maior hidratação, ou seja, tomar mais água. Então, é sempre bom aproveitar o momento, mas sem descansar dos cuidados com a saúde e estar atento às quantidades”, diz.


Um outro alimento que ganha destaque nessa época é o milho. O professor acrescenta que, nutricionalmente, é um alimento que possui vitaminas do complexo B e carotenóides, compostos bioativos que atuam na prevenção de doenças, inclusive contribuem com a saúde da pele e ocular. “O milho possui fibras importantes para o funcionamento intestinal. Lembrando que estou falando do milho natural, aquele que compramos na feira, que em casa tiramos a palha e cozinhamos ou consumimos assado. Já os enlatados possuem alta concentração de sódio e aditivos”, ressalta. “No Nordeste, essas são comidas reconfortantes, trazem memórias afetivas e há dois anos estamos sem vivenciar a festa junina como conhecíamos. Por isso, volto a dizer que participe das comemorações. Se você tem problema com o açúcar, pode substituí-lo por adoçantes. Se está em dieta alimentar, fique de olho nas porções e não exagere no sal. O veneno é a dose”, finaliza.


Informações:

ME CHAMA Tenho um professor maravilhoso para falar com vocês!

Assessoria de Imprensa – UNINASSAU Caruaru

Jornalista, Núbia Silva.

Contato: (81) 9.9750-0165